1 de dez de 2010

Chegou dezembro!

Chegou dezembro!
O ano de 2010 já está acabando...
Agradeço a todos os visitantes
pelos comentários e e-mails
com mensagens de incentivo.
Vocês fazem toda a diferença!
Um beijinho,
Ivanise Meyer

Clique na imagem para ampliar.


para ver as sugestões natalinas dos Baús.

Organizado por Ivanise Meyer®

18 de nov de 2010

Dia Nacional da Consciência Negra

20 de novembro
Dia Nacional da Consciência Negra
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
O Dia da Consciência Negra é celebrado em 20 de novembro no Brasil e é dedicado à reflexão sobre a inserção do negro na sociedade brasileira.

A data foi escolhida por coincidir com o dia da morte de Zumbi dos Palmares, em 1695. O Dia da Consciência Negra procura ser uma data para se lembrar a resistência do negro à escravidão de forma geral, desde o primeiro transporte forçado de africanos para o solo brasileiro (1594).

Outros temas debatidos pela comunidade negra e que ganham evidência neste dia são: inserção do negro no mercado de trabalho, cotas universitárias, se há discriminação por parte da polícia, identificação de etnias, moda e beleza negra, entre muitos outros.

O dia é celebrado desde a década de 1960, embora só tenha ampliado seus eventos nos últimos anos; até então, o movimento negro precisava se contentar com o dia 13 de maio, Abolição da Escravatura – comemoração que tem sido rejeitada por enfatizar muitas vezes a "generosidade" da Princesa Isabel.

♥ Sugestão: Revista NovaEscola (Consciência Negra o Ano Todo)
♥ Aula sobre a África (em pps): clique aqui.


Na escola, podemos trabalhar diversas questões através da literatura:

Da editora Pallas indico:

"Adinkra - sabedoria em símbolos africanos" - Elisa Larkin nascimento e Luiz Carlos Gá (org) - Livro com fonte de pesquisa.

"O menino Nito" - Sonia Rosa

"Bruna e a galinha d'Angola" - Gercilga de Almeida

"O papagaio que não gostava de mentiras" - Adilson Martins


"Falando banto" - Eneida D. Gaspar
O livro tem poemas com palavras em banto que usamos todo dia sem saber.
Um pedacinho para você se apaixonar:

NANA, NENÊ

"Tutu Marambaia ficou de tocaia,
viu os mafagafos na maior gandaia.
Macaco cambaio pegou a bengala,
cutucou a Cuca, toda encabulada."

Hoje é dia de quê?

Cada uma dessas comemorações
trazem lembranças de algo
que não deveríamos esquecer...
Há datas que são muito específicas
como as dos profissionais, por exemplo.
Há datas importantes para a maioria das pessoas.
Um jovem aluno me perguntou o porque era feriado no 15 de novembro...
Uma mãe me perguntou porque não haveria aula no 15 de outubro...
Muitas datas, embora existam e estejam no calendário,
estão se perdendo...
Perdendo o significado da época que foram criadas.
Parece que vivemos dias de esquecimento,
vamos nos esquecendo de tudo que foi importante,
substituindo por outros fatos efêmeros,
corriqueiros...
Acredito que as datas existam para que cultuemos
as lembranças.
O passado é a lição que temos no presente para construção de um futuro melhor.
20 de novembro é o dia nacional da consciência negra.
Merece ser lembrado e vivenciado em todos os cantos deste país.
Ivanise Meyer

Organizado por Ivanise Meyer®

6 de nov de 2010

Teleton 2010

Alô, amigos e amigas
do Baú de Ideias!
Tenho um pedido muito especial para vocês.
Neste fim de semana,
o SBT realiza, em parceria com a AACD,
a 13.ª edição do Teleton.
Quem puder, faça uma doação
para as crianças, jovens e adultos
atendidos pela AACD.
Obrigada!!!

Para fazer sua doação ligue:
0500 12345 05 (R$ 5,00)
0500 12345 10 (R$ 10,00)
0500 12345 20 (R$ 20,00)
0800 775 2010 (R$ 30,00 ou mais)
Doe pelo site:


Conheça a AACD

15 de out de 2010

Turma do Instituto Estadual de Educação Juvenal Miller

Olá, pessoal!

Esta é uma postagem especial
para os alunos e alunas do
amigo e professor José Roig
(educador/multiplicador do NTE Rio Grande)
do projeto desenvolvido pela agente educacional Carla Batista
no Instituto Estadual de Educação Juvenal Miller
do curso magistério e pós-médio de
Rio Grande - RS.
Fiquei feliz com a notícia
que muitos já conheciam o
Baú de Ideias.
Este espaço virtual
nasceu para compartilhar
experiências e sugestões
em Educação Infantil e Séries Iniciais.
Com a ampliação dos assuntos abordados
acabei abrindo outros baús...
Fiquem à vontade!
Conheci o EducaTube no ano passado...
Quando comecei a navegar no Twitter
conheci o José Roig através de suas postagens.
Uma grande alegria foi descobrir que ele
era o editor do Educa Tube!
É uma honra conhecer este educador que
compartilha seus saberes sobre
os ambientes virtuais de aprendizagem.
A internet possibilitou que conhecesse
seu trabalho e de outros colegas pelo Brasil,
o que seria impossível se não estivéssemos em rede.
Espero que aproveitem o curso
e que conheçam outros educadores
maravilhosos como seu professor.
Um beijinho,
Ivanise Meyer

Feliz Dia do Professor!



♥♥♥

Feliz dia dos professores
a todos os Educadores
 com quem compartilho
esse sonho
 e ousadia
 neste país:
a Educação.
 Parabéns!!!
Ivanise Meyer

2 de out de 2010

Projeto Eleição

Projeto Eleição - Grêmio Escolar
Autoria: Ivanise Meyer
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

1. Justificativa:
Estamos em ano de eleições. Será que os alunos sabem o que fazem aqueles políticos que querem o voto dos eleitores? Com o desenvolver do projeto as crianças poderão aprender mais sobre a importância do voto e também escolher uma chapa para representar seus interesses da sua escola.

2. Objetivos:
- Compreender a cidadania como resultado da participação social e política;
- Compreender os direitos e os deveres de um cidadão;
- Compreender características fundamentais das eleições (noção de identidade nacional);
- Analisar questões locais (escola e bairro) e mais amplas (nacionais);
- Identificar as funções exercidas pelos políticos nas esferas: municipal (vereadores e prefeito), estadual (deputados e governador) e federal (deputados, senadores e presidente);
- Eleger uma “chapa” que representará a escola no Grêmio Escolar.

3. Perfil das turmas:
Alunos do Ensino Fundamental (1.º ao 5.º ano)

4. Desenvolvimento:
- Pesquisar e explicar o processo de eleição do Brasil;
- Analisar propagandas e programas eleitorais;
- Organização das chapas nas turmas que irão concorrer à eleição do grêmio estudantil (as crianças não precisam ser da mesma turma, o ideal é que sejam de turmas diferentes);
- Organizar debates com as chapas da escola, onde cada grupo terá oportunidade de esclarecer suas propostas;
- Confeccionar título de eleitor (cada criança fará o seu na sua turma);
- Realização de campanha eleitoral (conversas nas turmas, material de propaganda, por exemplo: cartazes).
- Organizar um dia da eleição (mesários, apuradores, local da votação e apuração, horário, fiscal de boca de urna);
- Apurar os votos dos candidatos;
- Divulgar os resultados da apuração;
- Limpar e arrumar a escola (retiradas dos cartazes da propaganda eleitoral).

5. Produto final:
- Realização de cerimônia de posse da chapa eleita. A chapa eleita deverá comunicar à comunidade escolar sua proposta de trabalho para o biênio.

Em caso de cópia dos textos do Baú de Ideias®,
mantenha o crédito, indicando a autoria dos mesmos.
Grata,
Ivanise Meyer

22 de set de 2010

11 de set de 2010

Como a criança pode se tornar um bom leitor?

Dicas para pais e professores

Como a criança pode
se tornar um bom leitor?
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
1. Leia em voz alta com a criança. Explore livros e outros materiais de leitura (revistas, jornais, folhetos, cartazes, placas, etc). Todo material impresso pode ser útil e ocasionar um momento de troca centrado na leitura.
Muitos pais e professores param de ler em voz alta para as crianças assim que aprendem a ler por si mesmas... A leitura em voz alta melhora a habilidade de leitura da criança, como seu interesse pela leitura. Continue lendo para as crianças!


2. O texto precisa encantar o leitor. Procure variar as leituras. Se a história é longa, divida-a em partes, crie um clima de "no próximo capítulo"... O importante é ler, esse momento de leitura compartilhada é fundamental na formação do leitor.

3. Converse com a criança sobre a leitura e escute-a quando fala. Isso ajuda muito no desenvolvimento da linguagem oral.


4. Peça que a criança reconte o que você leu em voz alta para ela. Além de exercitar a memória, a criança vai percebendo como cada texto é construído, ampliando sua oralidade.


5. Incentive a criança a desenhar e fazer de conta que escreve a história que ouviu. Depois, peça que "leia" sua história. As crianças gostam de brincar com a imaginação, brincando de faz de conta...
A ideia é brincar de ler.


6. Dê o exemplo: faça com que a criança veja você lendo e escrevendo. O exemplo diz muito mais do que "discursos" sobre a importância da leitura e da escrita...


7. Visite uma biblioteca para empréstimo de livros, ou incentive a criança a trazer um livro emprestado para casa (no caso da biblioteca escolar). Converse sobre a escolha, qual foi o critério que usou (a capa, as imagens, o texto, etc). É um ótimo momento para compartilhar a leitura!


8. A literatura oferece excelentes obras que a criança pode conhecer desde a primeira infância. Escolha pela qualidade do texto. As imagens e a qualidade gráfica também são importantes.

Organizado por Ivanise Meyer®

6 de set de 2010

Linguagem 44: Alfabetização

Alfabetização
Ivanise Meyer
~~~~~~~~~~~~~~~

Dia 8 de setembro é o dia mundial da alfabetização. Alfabetizar ainda é um problema no meio educativo, seja nas escolas públicas ou nas particulares. Como se tudo que viesse depois dependesse dela, daí as discussões sobre o assunto. O que viria "antes" da alfabetização? E o que virá depois? Se pensar a alfabetização como o momento de aprender a "ler e escrever", há um antes e um depois...

Alfabetização é geralmente entendida apenas como processo de ensinar e aprender as relações fonema e grafema, ou seja, a compreensão da natureza alfabética da língua. Entendo a alfabetização como uma ação de "alfabetizar letrando", portanto ao disponibilizar e abrir espaço para a leitura e escrita na sala de aula, faço da alfabetização um instrumento de inserção no mundo marcado pela cultura escrita onde vivem as crianças. A questão é perceber a ação de alfabetizar letrando, não como mais um “modismo” em educação, mas como a possibilidade de ser usuário das práticas sociais de leitura e escrita. Segundo Soares (2003):

Dissociar alfabetização e letramento é um equívoco porque, no quadro das atuais concepções psicológicas, lingüísticas e psicolingüísticas de leitura e escrita, a entrada da criança (e também do adulto analfabeto) no mundo da escrita se dá simultaneamente por esses dois processos: pela aquisição do sistema convencional de escrita – a alfabetização, e pelo desenvolvimento de habilidades de uso desse sistema em atividades de leitura e escrita, nas práticas sociais que envolvem a língua escrita – o letramento. Não são processos independentes, mas interdependentes, e indissociáveis: a alfabetização se desenvolve no contexto de e por meio de práticas sociais de leitura e de escrita, isto é, através de atividades de letramento, e este, por sua vez, só pode desenvolver-se no contexto da e por meio da aprendizagem das relações fonema-grafema, isto é, em dependência da alfabetização. A concepção “tradicional” de alfabetização, traduzida nos métodos analíticos ou sintéticos, tornava os dois processos independentes, a alfabetização – a aquisição do sistema convencional de escrita, o aprender a ler como decodificação e a escrever como codificação – precedendo o letramento – o desenvolvimento de habilidades textuais de leitura e de escrita, o convívio com tipos e gêneros variados de textos e de portadores de textos, a compreensão das funções da escrita (p.12).

Lerner (2002), ajuda a refletir:

Ensinar a ler e escrever é um desafio que transcende amplamente a alfabetização em sentido restrito. O desafio que a escola enfrenta hoje é o de incorporar todos os alunos à cultura do escrito (...) é necessário reconceitualizar o objeto de ensino e construí-lo tomando como referência fundamental as práticas sociais de leitura e escrita. Pôr em cena uma versão escolar dessas práticas, que mantenha certa fidelidade à versão social (não escolar), requer que a escola funcione como uma microcomunidade de leitores e escritores (p.17).

Devemos nos preocupar em dar às crianças ocasiões de aprender. A língua escrita é muito mais que um conjunto de formas gráficas. É um modo de a língua existir, é um objeto social, é parte de nosso patrimônio cultural (Ferreiro, 2001, p. 103).

Para "decifrar" posso usar um método analítico (silábico, fônico) ou um método analítico (contos, palavração, sentenciação, natural), mas alfabetizar é muito mais do que conhecer um método. Nas leituras que fiz de Freire (2003) e Ferreiro (2001) percebi a alfabetização como um processo que emerge do uso das práticas sociais de leitura e escrita. Porém, a alfabetização foi percebida por muitos professores apenas como decifrar a relação fonema/grafema, tornando-se o grande entrave na rede pública de ensino.

É importante conhecer bem os métodos, pois as crianças são diferentes, têm formas diversas de aprender e construir significados. Muitas vezes, um método apenas não dá conta de atender a todas as crianças, por isso, saber como cada aluno compreende a leitura e escrita pode ajudar no planejamento dos encaminhamentos do professor. É preciso ter segurança no que se faz em sala de aula, para isso é necessário estudar, buscar, pesquisar e conhecer boas metodologias.

A sala de aula é um ambiente alfabetizador, assim como toda a escola. A maneira como é organizada reflete a postura do professor. "Espalhar coisas escritas" não garante aprendizagem, é preciso que os escritos tenham significado para a turma. Nas paredes posso observar o alfabetário, os textos trabalhados com a turma e as produções das crianças. O "canto de leitura" é um lugar na sala onde as crianças podem manusear diversos suportes de leitura, podendo ler sozinho ou em grupo. Ir à sala de leitura (biblioteca) com a professora deve ser planejado para realização de atividades voltadas à leitura e à oralidade. Os textos espalhados pela escola (cartazes, murais, avisos, cardápios, etc) também oferecem oportunidade de leitura aos alunos.

Algumas dicas úteis:


1) Identificar e considerar o estágio de desenvolvimento cognitivo da criança e o seu nível de evolução da escrita. Sugiro estas leituras:

2. Organizar atividades que permitam a manifestação oral e escrita da criança. Veja alguns exemplos aqui.

3. Propiciar o contato com variado material de leitura: livros, revistas, jornais, panfletos, convites, cartões, cartas, rótulos, bulas, receitas, instruções, etc. Pode-se ler mesmo antes de saber ler convencionalmente, veja aqui.

4. Ler para a criança. Leia mais clicando aqui.

5. Organizar atividades que gerem conflito cognitivo, a desequilibração e possibilitem a contrução de regras de leitura e escrita pela própria criança. Leia um exemplo clicando aqui.

6. Estimular a escrita espontânea segundo a hipótese da criança. Muitas sugestões aqui.

7. Aprofundar os conhecimentos a partir da produção e da dificuldade das crianças. Trabalhando em grupo na escrita de textos.

8. Apresentar modelos de escrita para confronto e construção da escrita. Um exemplo de ditado para escriba.

9. Conhecer, localizar e atuar na zona proximal de cada estágio. Leia sobre como estabelecer parcerias entre as crianças. Para saber mais: Vygotsky

10. Veja aqui um exemplo de tabela sugerido pelo Guia de Planejamento e Orientações Didáticas do programa Ler e Escrever, da secretaria municipal de Educação de São Paulo para acompanhar o avanço do conhecimento dos alunos sobre o sistema de escrita:

11. Nesta página você encontra os links para as apostilas e os vídeos que integram o Programa de Formação de Professores Alfabetizadores (Profa), realizado pelo Ministério da Educação (MEC), em 2001:

♥♥♥
Referências do texto:
FERREIRO, Emilia. Reflexões sobre alfabetização. São Paulo: Cortez, 2001.
FRANCO, Ângela et alii. Construtivismo: uma ajuda ao professor. Belo Horizonte: Lê, 1997.
FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler: em três artigos que se complementam. 45. ed. São Paulo: Cortez, 2003.
LERNER, Delia. Ler e escrever na escola: o real, o possível e o necessário. Porto Alegre: Artmed, 2002.
MEYER, Ivanise C. R. Brincar & Viver: Projetos em Educação Infantil. Rio de Janeiro: WAK, 2008.
SOARES, Magda. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Trabalho apresentado no GT Alfabetização, Leitura e Escrita na 26.ª Reunião Anual da ANPEd, Poços de Caldas, 2003.

♥♥♥

Para ver todas as sugestões de linguagem do Baú de Ideias
Organizado por Ivanise Meyer®

31 de ago de 2010

Dica do Baú: Concurso "Papinhas do Brasil"



NESTLÉ E CRESCER PROMOVEM A DIVERSIDADE POR MEIO DO
CONCURSO CULTURAL

"PAPINHAS DO BRASIL"

Até o dia 15 de outubro, todas as mães brasileiras poderão inscrever suas receitas de papinhas com ingredientes naturais e concorrer a prêmios exclusivos.

Em parceria com a Crescer (Ed. Globo), a Nestlé lança, neste mês, o concurso cultural "Papinhas do Brasil". Resgatando sabor, variedade e temperos diversos, a promoção visa resgatar os costumes de cada uma das cinco regiões brasileiras e valorizar os ingredientes locais na hora de preparar papinhas infantis.

Para isso, Nestlé e Crescer convidam as mães a inscrever, por meio do hotsite( www.crescer.com.br/papinhasdobrasil ), suas receitas de papinhas preparadas com alimentos típicos de sua região. Incentivando a criatividade, o concurso explora a diversidade de alimentos brasileiros, bem como a relação de tradição e importância dos ingredientes nas diferentes regiões do país.

O concurso premiará as autoras das cinco papinhas vencedoras com câmeras fotográficas digitais e assinaturas de um ano da revista Crescer. Além disso, a autora da receita classificada em primeiro lugar será contemplada com uma visita à sede da Nestlé, em São Paulo, para conhecer a cozinha experimental, onde todas as receitas da Nestlé são desenvolvidas e testadas. A grande vencedora também visitará a redação de Crescer.

O concurso, lançado na edição de agosto da revista, convida as mães a se inscreverem até o dia 15 de outubro. O resultado será publicado no site e na edição de novembro de Crescer.

Organizado por Ivanise Meyer®

29 de ago de 2010

Mensagens e Dicas para Reunião

Mensagens e Dicas
para
Reunião
~~~~~~~~~~~~~~~~
Postei no Baú das Mensagens
dicas para reunião com pais e
mensagens que já utilizei:

Organizado por Ivanise Meyer®

26 de ago de 2010

Mais uma translação!

26 de agosto

No meu aniversário
comemoro
mais uma translação...
Um ano de muitas emoções,
alegrias, tristezas,
trabalho, diversão,
conversa, silêncio,
companhia, solidão...
Mais uma translação...
Cada um de nós tem seu ano,
sua passagem ao redor do Sol.
E nesta passagem,
absorvemos luz do astro rei,
porque todos nós nascemos
para brilhar.
Para você,
este pedaço de "bolo virtual":




Obrigada pelo carinho
e pelo incentivo.
Um beijinho,
Ivanise :)

15 de ago de 2010

Bienal do Livro de São Paulo


Bienal Internacional do Livro
de São Paulo
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Meu livro "Brincar & Viver" está no estande
da WAK Editora
Rua F-32 esquina com Rua G-33

Eu e Maria Dolores Fortes
autora de "O vôo da águia"

Eu e a amiga Cybele Meyer
e no Twitter @cybelemeyer
no lançamento do seu livro
"Menina Flor"

Twittando com @jlgoldfarb
no Espaço da Fundação Volkswagen

Twitter no ETC_Bienal
no espaço da @fundacaovw


Estas são algumas fotos da
Bienal do Livro em São Paulo
que fiz entre 14 e 15 de agosto.
Fui para prestigiar a WAK
pois é uma editora que acredita
na Educação,
por isso suas publicações fazem
tanto sucesso entre os educadores.
Também conheci pessoalmente
meus amigos do Twitter:
José Luis e a Milena Caldeira.
Fui no lançamento do livro
"Menina Flor"
da amiga Cybele Meyer
e compartilhei de sua alegria!
Amei conhecê-los
e agradeço pela acolhida!
Um beijinho,
Ivanise :)

13 de ago de 2010

Campanha Nacional de Vacinação Infantil

Papais e Mamães
14 de agosto
~~~~~~~~~~~
Não esqueçam de levar seus filhos menores de 5 anos
 para tomar a segunda dose contra a paralisia infantil.

Assista ao vídeo do Zé Gotinha:


Juntos, podemos ajudar o Brasil
 a continuar livre da poliomielite!

8 de ago de 2010

Brincar & Viver em São Paulo

Estarei pessoalmente
na Bienal do Livro
- São Paulo -
no dia 14/8 (sábado)
às 16 horas
no estande da
Editora WAK
 Você poderá encontrar meu livro
Brincar & Viver:
projetos em Educação Infantil
na
Bienal do Livro (São Paulo)
no estande da
Editora WAK
Rua F-32 esquina com Rua G-33
Mapa:

♥♥♥

21.ª BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE SÃO PAULO
PAVILHÃO DE EXPOSIÇÕES ANHEMBI
AV. OLAVO FONTOURA, 1209 SANTANA - SP
12 a 22 de agosto

♥♥♥
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...