29 de mai de 2015

Adeus, Zé Zuca!

 
Morreu hoje (29 de maio), no Rio de Janeiro, o cantor, compositor, ator e radialista José Carlos de Souza, o Zé Zuca, que apresentava, há dez anos, o programa infantil Rádio Maluca, transmitido nas rádios Nacional e MEC AM do Rio de Janeiro. Ele tinha 63 anos e foi vítima de um tipo de câncer na medula.
 
♥♥♥

Zé Zuca foi cantor, compositor, autor, ator e diretor teatral, Pedagogo, Arte-educador, Radialista e Diretor da ZZ Produções.
 

Zé Zuca canta desde que nasceu. Passou a fazer teatro desde o primeiro exercício de laboratório. Descobriu-se educador no caminho, escritor e radialista mais adiante. Percebeu que criança é a maior plantação do mundo. Juntou tudo em seus trabalhos e vive assim, do jeito que é considerado: multimídia.
      
Zé Zuca trabalha há 34 anos para e com o público infantil. É pedagogo, psicodramatista, arte-educador e foi professor de música em diversas escolas. Escreve textos, livros infantis, compõe e faz direções musicais para teatro profissional adulto e infantil, sendo indicado duas vezes para o prêmio Mambembe. Seu espetáculo "Coração de Gigante", do qual é autor e diretor, ganhou um prêmio Shell de auxílio montagem.
      
Com seu programa "Radioteca", pela Rádio MEC, foi um dos três finalistas do Festival Internacional de Programas de Rádio de Nova York, dentre 1547 programas de 18 países.

Morou cinco anos na Holanda, onde realizou aproximadamente 500 shows, fundou o jornal "brasilandês" PAPAGAIO e o grupo de teatro musical para crianças, ZABELÊ. Voltando ao Brasil, deu aulas no Curso de Radialismo da UFRJ e na UniverCidade. Na Rádio MEC, lançou a série de programas "Zé Zuca e a Rádio Maluca" e recolocou no ar o "Radioteca", ao vivo, para jovens.

Lançou os discos: "Jacaré Espaçonave do Céu" (independente), "O que eu vejo da janela" (independente), "Zé Zuca e a Rádio Maluca" (independente), "Todas as festas"         (independente), "O melhor de Zé Zuca" (Angels Records e SONY, em 2002), "Roda de Cantigas" (Selo Rádio MEC, em 2007) e "Álbum de Figurinhas" (Selo Rádio MEC, em 2008) - figuras da música para crianças no Brasil, com participação de Bia Bedran, Palavra Cantada, Hélio Ziskind, entre outros.

Em 2008 foi indicado para o prêmio Zilka Salaberry de teatro Infantil, na categoria Prêmio Especial, por incluir a criança e o teatro no rádio.

Apresentava o programa RÁDIO MALUCA, com duração de uma hora, ao vivo, no auditório da Rádio Nacional, aos sábados, das 11h às 12h. Crianças e famílias lotavam o auditório do programa que já alcançou, na cidade do Rio de Janeiro, o quarto lugar de audiência em seu horário.

Lançou o livro "Casa de Caramujo" pela Editora VOZES em 1987. Em agosto de 2009 lançou o livro "Amigos do Peito", pela editora Mirabolante. Em 2010: "Vou contar um segredo - uma história cheia de medo" e "Avó com cheiro de pão caseiro".

O Rádio Maluca e a faixa de programas Estação Brincadeira são referências em programação infantil no rádio para crianças e suas famílias, com artistas que fazem música e histórias para crianças e que não têm espaço nas emissoras comerciais.

Para gerir, produzir e dirigir este gênero de conteúdo e programação de rádio é necessário um especialista que tenha em sua formação e experiência profissional a união da comunicação pública, do rádio, da educação e das artes de uma maneira geral e da música e do teatro de forma específica.

Zé Zuca era o único artista e radialista da cidade do Rio de Janeiro que possuía a experiência de unir tão bem todas essas áreas do conhecimento.

Ele também descobriu talentos infanto-juvenis e lançou vários artistas mirins em seus programas de rádio.

Fontes: http://www.zezuca.com.br/ e http://www.ebc.com.br/cultura/2015/05/morre-no-rio-o-radialista-ze-zuca-apresentador-do-radio-maluca-na-nacional-am

♥♥♥

Entrevista com Zé Zuca: 
 

 
♥♥♥
 
 
 
 

20 de mai de 2015

Reflexões sobre a criatividade

JARDIM SECRETO
Ivanise Meyer

Hoje eu vi o livro "Jardim Secreto" em uma papelaria, junto a ele, caixas de lápis de cor, formando uma espécie de "kit pintura".

Dei uma olhada nas figuras, e deixei-o no mesmo lugar. Embora eu goste muito de pintura, não o trouxe para casa, mas pensei em muitas coisas...

Cada pessoa adulta decide como passará suas horas de lazer, ou como costumo dizer "momentos de puro ócio." Quero deixar claro que não escrevo para criticar as pessoas que utilizam este ou qualquer livro do mesmo estilo.

Livros de colorir, revistas de banca de jornal, não são novidade. Eram coisas "para criança" com motivos infantis.

 Lembrei do que acontece com a criatividade da maioria das crianças quando iniciam na escola, especialmente, no ensino fundamental. Ela se perde. Se perde porque como há muita coisa já pronta, para quê perder tempo em criar seus próprios desenhos? Não se coloca a mão na massa, na argila, não se suja de cola, não se pinta, tudo que poderia ser linguagem, fica mudo... Emudecendo o potencial criativo de tantas crianças.


Criatividade não está relacionada com "talento". Todos somos criativos, dependendo apenas das oportunidades que temos ao longo de nossas vidas. Muitas crianças dizem "eu não sei desenhar", mas quem disse que se sabe ou não? Podemos não desenhar conforme um modelo pré-estabelecido, mas todos nós temos capacidade de nos expressar por grafismos, desenhos... Isso é humano.


Qual o valor da arte na escola? Qual é o tempo que destinamos em nosso planejamento onde nossas crianças possam criar, experimentar, produzir? E não falo apenas das artes plásticas, falo de todas as artes. Arte é uma forma de expressão individualmente coletiva.


O mundo muda tão rápido, mas muitas coisas circulam, e voltam... Um exemplo? Os livros para colorir. Nesse meu tempo de professora já vi de tudo: desde fornecer os desenhos prontos para as crianças apenas colocarem cor, até não trazer mais "modelos" e incentivar que cada um criasse o "seu" desenho. São ciclos...

Lógico que a criança também precisa experimentar colorir os desenhos feitos por outras pessoas, mas que isso não seja a única experiência artística dela. Saber o nome das cores não é suficiente, é preciso sentir as cores, perceber nuances, ver as cores pelo ambiente, nos objetos... A vida é colorida! Que ela possa escolher as cores, os efeitos, para que imprima algo de "seu" no desenho do outro. Nada de ficar indicando as cores! Deixe que veja muitas imagens coloridas e que ela escolha quais cores representam a sua interpretação.

A criança que hoje é "escrava" das ordens de um computador (seja em um celular, em um tablet, ou coisa parecida) não cria. Ela apenas segue ordens, ganha "prêmios" caso execute as ordens direitinho. E só. Criatividade, nenhuma. Talvez a criatividade seja apenas de quem criou o jogo.

Faço aqui um apelo: permitam que suas crianças sejam criativas! Incentivem, forneçam material (livros literários, papéis, lápis cera, hidrocor, tinta, cola, etc), tempo, lugar (espaço), valorizem suas produções! Que as crianças possam viver e experimentar o quanto é bom criar, fazer seus desenhos e colocar as cores que gosta.


(Acrescentei outras reflexões ao texto publicado na página do Baú de Ideias no Facebook)

Organizado por Ivanise Meyer®

19 de mai de 2015

Produção Artística das Crianças

Produção Artística das Crianças
Artigo de Ivanise Meyer
~~~~~~~~~~~~~~~~
As crianças se expressam das mais variadas formas, uma dessas é utilizando as linguagens artísticas.
Na creche e na escola podemos aproveitar vários momentos, para ampliar a criatividade da criança, não apenas oferecendo materiais, mas propondo a sua utilização.
Uma "técnica" de artes só tem sentido quando a criança consegue expressar seu pensamento e suas emoções. Precisa fazer sentido para ela, não apenas "ser bonito" para alguém.
Sempre que uma criança me pergunta se o que faz está "bonito", eu devolvo:
- Você acha que está bonito?
Minha intenção é que a criança valorize sua produção, que deve ser respeitada pelos adultos e pelas outras crianças.
Critérios de julgamento do tipo "feio" ou "bonito" de nada ajudam, pois a linguagem artística é subjetiva.
Pode-se conversar com as crianças sobre como fazer (técnica) e os cuidados com os materiais (como lidar com tintas, lápis, pincéis, etc). Os resultados das produções dependerão do envolvimento de cada criança.
Acredito que não se produz a partir do "vazio"... Antes de propor uma produção artística podemos ler uma história, cantar uma música, fazer uma brincadeira, apreciar produções de artistas conhecidos, assistir um programa sobre o tema a ser trabalhado, entre outras sugestões.
Assim "nutrida", a imaginação e a criatividade se expressam mais facilmente através das linguagens artísticas.
 Todos esses momentos devem ser planejados pelo professor, prevendo quais materiais irá precisar com antecedência, selecionados de acordo com a faixa etária, observando as fases que as crianças estão na construção do conhecimento sobre o uso destes materiais.
O mesmo material pode ser utilizado mais de uma vez, pois a cada vez a criança vai modificando, criando e inventando novas formas de utilização.
Variar os materiais amplia as experiências infantis nas produções artísticas.
A produção artística pode estar ligada ao tema trabalhado em uma história, brincadeira, jogo, música, vídeo, ou assunto estudado, fazendo parte do cotidiano, não apenas como "técnica", mas como expressão da linguagem artística.
A criança aprende os procedimentos para desenhar, pintar, modelar, construir, recortar e colar, utilizando-os para criar.

Deixo a seguir algumas sugestões em desenho, pintura, modelagem e colagem.

♥ Desenho e Pintura ♥

Meios secos: lápis cera, lápis de cor, giz e carvão.

Meios aquosos: anilina, guache, cola colorida, tinta para pintura a dedo, aquarela e caneta hidrocor.

Suportes para o Desenho:

- Na areia: uma caixa com areia. A criança desenha com os dedos. Permite várias possibilidades. Já usei uma embalagem de pizza como caixa de areia e deixei conchas para que fizessem a composição de desenhos. Ficaram lindos!
- No quadro-de-giz: usar giz branco e colorido e apagador.
- No chão: pode utilizar giz ou carvão. O giz é mais fácil de tirar, pois a própria água da chuva "lava" o chão.
- Em papéis: variar o tamanho do papel, além do A4 e do A3 (aquela folha dupla), pode-se utilizar variados tipos e tamanhos, formas (papel cortado em forma de círculo, quadrado, etc). Além do papel branco, temos os coloridos, craft, cartolina, glacê, camurça, papel jornal, papel de seda, vegetal, pardo, quarenta quilos, celofane, crepom, lixa de madeira, emborrachado (EVA), tecido não tecido (TNT), papel reciclado. São muitas as possibilidades de desenho em papel!
- Em paredes: pode-se ter uma parede azulejada para pintura com guache que possa ser lavada após a apreciação e reutilizada.
- Uma mesa ou bacia (retangular e baixa) para pintura a dedo.
- Suportes tridimensionais: desenhos em caixas, tubos de papelão, embalagens, etc.


♥ Modelagem ♥

Materiais: massinha (plastilina ou de amido), argila, areia molhada (caixa de areia).
Pode-se oferecer rolinhos de madeira, palitos (de picolé), moldes.

♥ Colagem ♥

Os suportes para a colagem de materiais podem ser variados como papéis e caixas, para composições individuais ou coletivas. Um mosaico pode ser uma proposta para toda a turma participar.
Os materiais a serem colados podem ser: sementes, folhas e flores secas, barbante, lã, areia, serragem, algodão, retalhos de EVA, fita metalóide (pedaços cortados), retalhos de tecidos, restos de papel de presente, formas geométricas já cortadas. O papel crepom é maleável, fácil de dar forma usando as mãos.
Eu tenho uma caixa com divisórias para pequenos pedaços de papel colorido (sobras) que as crianças utilizam nas colagens.
Há dois materiais para colagem que gosto muito: confete e serpentina (podem ser adquiridos em lojas na época do Carnaval).
Muitas "sucatas" podem ser aproveitadas nas colagens.

▼▼▼

É importante supervisionar o uso da cola e da tesoura (sem ponta).
Para evitar acidentes,
 nunca se afaste da sala quando as crianças estão usando estes materiais.
Antes de utilizar a tesoura a criança precisa adquirir habilidade para isso,
senão o uso torna-se perigoso.
A criança não aprende a manusear os materiais sozinha,
precisa aprender como utilizar sem se machucar,
ou algum colega. Quem ensina como manusear é o professor.

▲▲▲

Como apresentar as produções?

Mural da Turma do Coração (desenho em lixa)

A apresentação de um trabalho é tudo! Ela vai valorizar as produções das crianças.
Observe o mural acima, se tivesse grampeado os desenhos sem o fundo vermelho eles não teriam a mesma graça...
Essa é a "nossa parte" no trabalho das crianças, ou seja, como tornar os trabalhos valorizados para elas e os adultos que os observam. Colocar uma moldura, arrumar em um cartaz ou mural, fazer uma coletânea com capa (encadenar usando grampeador ou espiral), expor suas modelagens em uma mesa decorada, são formas de apresentação das produções artísticas.
Organize com elas uma exposição de trabalhos, convide os pais, é uma experiência maravilhosa!

Organizado por Ivanise Meyer®

3 de mai de 2015

Dia das Mães: Ser Mãe


Ser Mãe
~~~~~~~~~~
 
Antes de ser mãe eu dormia o quanto eu queria
e nunca me preocupava com a hora de ir para a cama.
 
Antes de ser mãe eu limpava minha casa todo dia.
Eu não tropeçava em brinquedos, nem pensava em canções de ninar.
 
Antes de ser mãe ninguém vomitou, nem fez xixi em mim,
nem me beliscou sem nenhum cuidado, com dedinhos de unhas finas.
 
Antes de ser mãe eu tinha controle sobre a minha mente,
meus pensamentos, meu corpo e meus sentimentos.
Eu dormia a noite toda...
 
Antes de ser mãe eu nunca tive que segurar uma criança chorando
para que médicos pudessem fazer testes ou aplicar injeções.
 
Eu nunca chorei olhando pequeninos olhos que choravam.
Eu nunca fiquei gloriosamente feliz com uma simples risadinha.
 
Eu nunca fiquei sentada horas e horas olhando um bebê dormindo.
Eu nunca imaginei que uma coisinha tão pequenina pudesse mudar tanto a minha vida.
 
Eu nunca imaginei que pudesse amar tanto alguém assim.
Eu não sabia que eu adoraria ser mãe.
 
Eu não imaginava que algo tão pequeno pudesse fazer-me sentir tão importante.
 
Eu não sabia que era capaz de ter sentimentos tão fortes.
 
Por tudo e, apesar de tudo, obrigada, Deus,
por eu ser agora um alguém tão frágil e tão forte ao mesmo tempo.
 
Obrigada, Deus por permitir-me ser MÃE.
 
Adaptação do texto de: Silvia Schimidt
  
 
Se quiser visualizar todas as postagens sobre o dia das mães
 
Organizado por Ivanise Meyer®
 


2 de mai de 2015

Dia das Mães: Caderno de Receitas


Caderninho de Receitas
~~~~~~~~~~~~~~~~~~


Montei um caderno de receitas para presentear as mães.
Para salvar, clique sobre as imagens para ampliar:

Essa folha dá para duas capas (cortar ao meio).








♥♥♥

Em tempo:
Agradeço às amigas Marcília http://marciliacampos.blogspot.com/ (pelas receitas: danonão, tortinha de banana, rolinhos e bolo de cenoura formigueiro) e Andréia (do grupo Sugestões de Atividades pela "receita de mãe").
As outras receitas são do meu caderninho...


♥♥♥

Montagem:
♥ Professora: cortar as folhas ao meio, montar a sequência, colocar espiral (ou grampear), capa final de cartolina, colocar em um saco de celofane e enfeitar com fitilho.
♥ Crianças: desenhar a capa, pintar as ilustrações e escrever a oração (produção de texto).


Organizado por Ivanise Meyer®
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...